TUMORES OSSEOS

São alterações na estrutura normal do osso, podendo ser benignas ou malignas. Dentre os benignos as lesões mais comuns correspondem aos cistos ósseos simples, cistos ósseos aneurismáticos, displasias, fibromas, osteocondromas, encondromas e outros; apresentando excelente prognóstico e em geral não agridem os tecidos adjacentes. Dentre os malignos, os mais comuns são o osteossarcoma, sarcoma de Ewing, mieloma múltiplo, linfoma e a forma mais comum de acometimento maligno do osso que corresponde as metástases ósseas (canceres de outros órgãos como mama e próstata que acometem secundariamente o osso). Os tumores ósseos, benignos ou malignos, apresentam tratamento adequado ortopédico ou multiprofissional, mas sempre visando dois objetivos principais: a cura e a qualidade de vida.

Segundo tumor maligno primário ósseo mais comum. Acomete principalmente meninos na infância e adolescência. Clique para saber mais...

Quarto tumor maligno primário ósseo mais comum. Acomete principalmente meninos na infância na região do joellho e pelve. Clique para saber mais.

Lesão osteolítica, benigna, geralmente multi-cameral que em geral não necessita de tratamento. Clique para saber mais.

Lesão benigna, osteolítica e insuflativa que necessita de abordagem cirúrgica, em geral com curetagem e enxerto ósseo. Clique para saber mais.

Lesões benignas muito comuns e que em geral não necessitam de tratamento. Deve-se fazer acompanhamento ortopédico devido a chance de malignização. Clique para saber mais.

Lesões ósseas proveniente de tecido cancerígeno de outros órgãos que atacam a estrutura óssea e predispõe a fraturas. Clique para saber mais.

Tumor primário ósseo mais comum e que acomete paciente em geral acima de 50 anos. Lesões ósseas podem predispor a fraturas. Clique para saber mais.

Tumores de origem mesenquimal extra-ósseos, podendo ser benignos ou malignos e podem comprometer estruturas adjacentes como vasos e nervos mas em geral não invadem o osso. Clique para saber mais.

Tumor benigno agressivo localmente e que pode gerar metástases. Tratamento corresponde a curetagem e cimentação. Clique para saber mais.

©2018 BY DR. JAIRO GRECO GARCIA.

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social